Ser Autor Home Favoritos Feed


sábado, 28 de fevereiro de 2009

3 - Código da psicoadaptação - capacidade de sobreviver às intempéries da existência

Icon O Código da Inteligência de Augusto CuryCury diz-nos que o código da psicoadaptação reflecte a capacidade de suportar a dor, de ultrapassar obstáculos, de gerir conflitos e adaptar-se a mudanças psicossociais. Diz que é o fenómeno de psicoadaptação que gera o código da resiliência.

O grau de resiliência de um ser humano depende pois de ser capaz de superar, de se adaptar, perante as adversidades que surgem no caminho na sua vida.

Um baixo grau de resiliência em que uma pessoa suporta de forma deficiente as crises e os acontecimentos adversos, pode levá-la a sofrer de depressão, de pânico, ansiedade, de sintomas psicossomáticos e mesmo levar ao suicídio imaginário, físico ou psíquico, em que a pessoa auto-abandona-se, e passa a refugiar-se no alcoolismo, nas drogas e em comportamentos auto-destrutivos.

Este código, o da resiliência, está fortemente ligado ao código de gestão do intelecto, em especial à gestão de pensamentos mórbidos, à construção de janelas paralelas e à reedição do inconsciente.
Lembra novamente que é fundamental um choque de gestão do intelecto para suportar crises e tensões.

A aprendizagem

A adaptabilidade e capacidade de superação de crises depende mais da aprendizagem do que da carga genética. Os factores genéticos de propensão à hiperactividade, ansiedade e irritabilidade dificultam as capacidades de psicoadaptação mas este código deve ser decifrado pela aprendizagem.

Alguém que sofre de SPA tem também mais dificuldades de superar adversidades.

Apesar das dificuldades de superação em relação a outras pessoas, estes indivíduos, ao decifrar os códigos da inteligência, podem desenvolver grandes competências resilientes.

Aponta aqui o problema do sistema educacional que é falho em fomentar a construção destas competências.

O sentimento de culpa nas adversidades e perdas

Refere que o sentimento de culpa em excesso gera hipersensibilidade. Que esta causa transtornos, entre eles a escassez de protecção emocional. E que as perdas podem causar grandes impactos.

Sem o fenómeno da psicoadaptação "um adulto não sobreviveria aos vexames, humilhações sociais, perdas de emprego e crises financeiras que lhe vão acontecendo ao longo da vida."

"A dor, as derrotas e as lágrimas devem ser sempre evitadas, mas ninguém vive continuamente sob um céu sem nuvens. Como as turbulências são inevitáveis, inclusive em dias de céu limpo, deveríamos usá-las para expandir a nossa maturidade resiliente."

Como? Aprendendo:
1 - a ser digno de subir ao pódio usando os fracassos para lá chegar
2 - a ser digno da maturidade usando as incoerência para a atingir
3 - a ser digno da saúde psíquica usando as crises, problemas, depressões para a destilar
4 - a ser digno do sucesso ao não desprezar as derrotas e acidentes de percurso
5 - que a pior forma de lidar com as adversidades é virar-lhes as costas
6 - que é necessário fazer a "mesa redonda do eu", para delinear estratégias de superação
7 - que uma pessoa que não desiste dos seus sonhos pode usar o caos como oportunidade criativa.

Cury fala da sua própria experiência para lembrar que a vida é cíclica. Que vales e montanhas se sucedem.

"A vida é uma grande aventura em que as noites e os dias se alternam."

O bom e o mau

A vida tem o bom e o mau, o drama e o lirico.

"Viver é conquistar, ter experiências, cultura, amigos, um grande amor; viver também é perder, reduzir a destreza muscular, o reconhecimento social, a vitalidade social. Viver é ficar encantado com os outros e ter expectativas correspondidas; viver também significa desencantar-se e ter expectativas defraudadas."

"Quem decifra o código da resiliência vai construindo, apesar de não ter consciência, ao longo da sua vida centenas de janelas light no seu inconsciente, que darão sustentabilidade à sua lucidez, ânimo, sensibilidade, sabedoria e tranquilidade. Ainda que se perca a vitalidade física, preservar-se-á a psíquica; ainda que os aplausos cessem, a vida continuará a ser um espectáculo no anonimato."

Os sonhos e o treino

Cury diz que é importante considerar dois ingredientes fundamentais do psiquismo: o treino(disciplina) e os sonhos. Mas que os sonhos sem treino produzem pessoas frustradas e conformistas, e que treino sem sonhos produz pessoas sem objectivos, vitimas e servas do sistema social.

Exercícios propostos para decifrar o código da resiliência:
1 - Ter consciência de que a vida é cíclica
2 - Treinar-se diariamente a enfrentar obstáculos e crises com flexibilidade
3 - Usar as decepções e adversidades para nos reconstruir e não para nos destruir
4 - Ter consciência de que para ser digno de saúde psíquica é necessário usar as próprias crises para a destilar
5 - Aprender a escrever nos dias mais dramáticos da nossa existência os capítulos mais importantes da nossa história.




POSTS RELACIONADOS:

2 comentários:

Cristina Bernardes disse...

Gostei muito deste comentário; principalmente a parte sobre a resiliência do ser humano. Penso qu cada um tem os seus limites, que deve de realmente conhecer para poder usufruir de uma vida feliz e saudável. Achei os exercícios propostos para decifrar o código da resiliência muito interessantes. Obrigado João por esta reflexão.

João disse...

Obrigado Cristina, mas acho que a pessoa a quem vc devia agradecer mesmo a reflexão era ao Augusto Cury.

Também acho esta parte da resiliência fundamental. É essencial saber que o ser humano tem uma enorme capacidade de superação, ... que nós todos temos uma enorme capacidade de superar os vários problemas da vida.

A alegria acaba quando vai embora. Parece trivial mas é que toda a gente passa por momentos menos felizes, e é aí que é importante percebermos as forças que Deus nos deu, é nessas alturas que percebemos que temos esse poder de não baixar os braços, e continuar, apesar das dificuldades.

Abraços

Postar um comentário

Blog Widget by LinkWithin